Orto_05-01-15_Site

Alongamento melhora qualidade de vida da terceira idade

Postado em

Espreguiçar está entre uma das melhores sensações que o corpo pode experimentar. Isso porque os exercícios que estimulam o alongamento dos músculos provocam prazer, bem-estar e, ainda, retardam o processo natural de encurtamento da massa muscular. Com o passar dos anos, é normal que a flexibilidade e a elasticidade diminuam, por isso, o alongamento é recomendado e não tem contra-indicação.

É o próprio corpo que avisa qual é o limite para parar e quando é possível ir além. Quem tem mais de 50 anos e já percebe que os músculos não são mais tão flexíveis, deve alongar, pelo menos, três vezes na semana. No entanto, se respeitado os limites que o corpo dá, o exercício pode ser feito todos os dias.

O alongamento é fundamental para a qualidade de vida e aptidão física da terceira idade. O exercício reduz as tensões e a rigidez muscular ao mesmo tempo em que relaxa. Autonomia e independência para dar conta de todas as tarefas diárias são as características que garantem a qualidade de vida. Alongar vai contra o declínio natural do organismo, por isso quem estica o corpo todos os dias pode ter uma aparência mais jovem e mais disposição.

Com o tempo, amarrar os sapatos, estender a roupa, alcançar um objeto, subir escadas podem se tornar tarefas mais difíceis de serem executadas. Alongar faz com que essa dificuldade demore a aparecer ou nem apareça.

A terceira idade deve seguir três pilares para ter um envelhecimento saudável: atividade de força, como musculação e treinamento funcional; atividade aeróbica, como natação, caminhada e corrida; e alongamento. A recomendação da OMS é de que os exercícios sejam distribuídos em 150 minutos por semana. Isso significa 30 minutos de exercício em cinco dias da semana.

Não pode doer

Para garantir um alongamento completo, braços, tronco e pernas devem ser esticados até o limite que o corpo impõe. A dor é um sinal de que a fronteira foi ultrapassada.

A progressão deve ser feita aos poucos. O corpo “diz” quando o músculo foi esticado ao máximo. O alongamento deve causar tensão, nunca dor.

Vale lembrar também que alongamento e aquecimento são duas coisas bastante diferentes. O primeiro trabalha a elasticidade dos músculos, o segundo aquece e prepara o corpo para outra atividade.

Esticando o cérebro

Alongar os músculos provoca uma enorme sensação de bem-estar. A tensão do alongamento faz o cérebro entender que precisa desse movimento para voltar a sentir esse prazer. O alongamento estimula o cérebro a se exercitar também. Embora não seja um exercício que aumenta a frequência cardíaca – que melhora a oxigenação de organismo –, o alongamento estimula o metabolismo, combate inflamações e melhora a capacidade cognitiva.

 

Fonte: ZH

Imagem:Bigstock by Nyul